Sexta-feira da 2ª Semana da Páscoa II Semana do Saltério

Compartilhar:

 

Invitatório


V.
Vinde, ó Deus, em meu aulio.
R.
Socorrei-me sem demora.
Glória ao Pai e ao Filho e ao Esrito Santo. *
Como era no prinpio, agora e sempre. Amém. Aleluia.

Esta introdução se omite quando o Invitatório precede imediatamente ao Ofício das Leituras.

Hino  

Exulte o céu do alto,

aplaudam terra e mar;

o Cristo, ressurgindo,

a vida vem nos dar.

 

O tempo favorável

à terra já voltou;

felizes, contemplamos

o dia salvador,

 

no qual o mundo, salvo

no sangue do Cordeiro,

já brilha em meio às trevas

com brilho verdadeiro.

 

A morte mata a morte,

da culpa nos redime;

a força do vencido,

vencendo, apaga o crime.

 

É esta a nossa espera,

é este o nosso gozo:

também ressurgiremos,

com Cristo glorioso.

 

Por isso, celebremos

a Páscoa do Cordeiro,

repletos pela graça

do seu amor primeiro.

 

Jesus, sede a alegria

perene dos remidos;

uni na vossa glória

da graça os renascidos.

 

Louvor a vós, Jesus,

da morte vencedor,

reinando com o Pai

e o seu eterno Amor.

Salmodia

Ant. 1 Repreendei-me, Senhor, mas sem ira!

Salmo 37(38)

Súplica de um pecador em extremo perigo

Todos os conhecidos de Jesus ficaram à distância (Lc 23,49).

I

2 Repreendei-me, Senhor, mas sem ira; *
corrigi-me, mas não com furor!

3 Vossas flechas em mim penetraram; *
vossa mão se abateu sobre mim.

4
Nada resta de são no meu corpo, *
pois com muito rigor me tratastes!

– Não há parte sadia em meus ossos, *
pois pequei contra vós, ó Senhor!

5
Meus pecados me afogam e esmagam, *
como um fardo pesado me oprimem.

Ant. Repreendei-me, Senhor, mas sem ira!

Ant. 2 Conheceis meu desejo, Senhor.

II

6 Cheiram mal e supuram minhas chagas *
por motivo de minhas loucuras.

7
Ando triste, abatido, encurvado, *
todo o dia afogado em tristeza.

8 As entranhas me ardem de febre, *
já não parte sã no meu corpo.

9
Meu coração grita e geme de dor, *
esmagado e humilhado demais.

10 Conheceis meu desejo, Senhor, *
meus gemidos vos são manifestos;

=11
bate pido o meu coração, †
minhas forças estão me deixando, *
e sem luz os meus olhos se apagam.

=12 Companheiros e amigos se afastam, †
fogem longe das minhas feridas; *
meus parentes mantêm-se à distância.

13 Armam laços os meus inimigos, *
que procuram tirar minha vida;

– os que buscam matar-me ameaçam *
e maquinam traições todo o dia.

Ant. Conheceis meu desejo, Senhor.

Ant. 3 Confesso, Senhor, minha culpa:
salvai-me, e jamais me deixeis!

III

14 Eu me faço de surdo e não ouço, *
eu me faço de mudo e não falo;

15
semelhante a alguém que não ouve *
e não tem a resposta em sua boca.

16 Mas, em vós, ó Senhor, eu confio, *
e ouvireis meu lamento, ó meu Deus!

17
Pois rezei: “Que não zombem de mim, *
nem se riam, se os pés me vacilam!”

18 Ó Senhor, estou quase caindo, *
minha dor não me larga um momento!

19
Sim, confesso, Senhor, minha culpa: *
meu pecado me aflige e atormenta.

=20 São bem fortes os meus adversários †
que me vêm atacar sem razão; *
quantos que sem causa me odeiam!

21
Eles pagam o bem com o mal, *
porque busco o bem, me perseguem.

22 Não deixeis vosso servo sozinho, *
ó meu Deus, ficai perto de mim!

23
Vinde logo trazer-me socorro, *
porque sois para mim Salvação!

Ant. Confesso, Senhor, minha culpa:
salvai-me, e jamais me deixeis!

V. Céus e terra se alegram cantando: Aleluia,

R. Pela ressurreição do Senhor. Aleluia.

 

Primeira leitura

Do Livro do Apocalipse             4,1-11

 

Visão de Deus

        Eu, João, 1vi uma porta aberta no céu, e a voz que antes eu tinha ouvido falar-me como trombeta, disse: “Sobe até aqui, para que eu te mostre as coisas que devem acontecer depois destas.” 2Imediatamente, o Espírito tomou conta de mim. Havia no céu um trono e, no trono, alguém sentado. 3Aquele que estava sentado parecia uma pedra de jaspe e cornalina; um arco-íris envolvia o trono com reflexos de esmeralda. 4Ao redor do trono havia outros vinte e quatro tronos; neles estavam sentados vinte e quatro anciãos, todos eles vestidos de branco e com coroas de ouro nas cabeças. 5Do trono saíam relâmpagos, vozes e trovões. Diante do trono estavam acesas sete lâmpadas de fogo, que são os sete espíritos de Deus. 6Na frente do trono havia como que um mar de vidro cristalino. No meio, em redor do trono, estavam quatro Seres vivos, cheios de olhos pela frente e por detrás. 7O primeiro Ser vivo parecia um leão; o segundo parecia um touro; o terceiro tinha rosto de homem; o quarto parecia uma águia em pleno vôo. 8Cada um dos quatro Seres vivos tinha seis asas, cobertas de olhos ao redor e por dentro. Dia e noite, sem parar, eles proclamavam: “Santo! Santo! Santo! Senhor Deus Todo-poderoso! Aquele que é, que era e que vem!” 

        9Os seres vivos davam glória, honra e ação de graças ao que estava no trono e que vive para sempre. 10E cada vez que os Seres vivos faziam isto, os vinte e quatro anciãos se prostravam diante daquele que estava sentado no trono, para adorar o que vive para sempre. Colocavam suas coroas diante do trono de Deus, e diziam:  

11“Senhor, nosso Deus, 

tu és digno de receber a glória, a honra e o poder,

porque tu criaste todas as coisas.

Pela tua vontade é que elas existem e foram criadas.”

 

Responsório Ap 4,8c; Is 6,3

 

R. Santo, santo, santo, Senhor Deus onipotente!

Deus que era, Deus que é, também será eternamente.

 * Toda a terra está cheia de sua glória, aleluia.

 V. Diziam aclamando os seres vivos uns aos outros:

Santo, santo, santo, Senhor Deus onipotente!

* Toda a terra.

 

Segunda leitura

Dos Sermões de São Teodoro Estudita

 

(Oratio inadorationem crucis: PG99,691-694.695.698-699)     (Séc.IX)

 

É preciosa e vivificante a cruz de Cristo

        Ó preciosíssimo dom da cruz! Vede o esplendor de sua forma! Não mostra apenas uma imagem mesclada de bem e de mal, como aquela árvore do Paraíso, mas totalmente bela e magnífica para a vista e o paladar.

        É uma árvore que não gera a morte, mas a vida; que não difunde as trevas, mas a luz; que não expulsa do Paraíso, mas nele introduz. A esta árvore subiu Cristo, como um rei que sobe no carro triunfal, e venceu o demônio, detentor do poder da morte, para libertar o gênero humano da escravidão do tirano. 

        Sobre esta árvore o Senhor, como um valente guerreiro,ferido durante o combate em suas mãos, nos pés e em seu lado divino, curou as chagas dos nossos pecados, isto é, curou a nossa natureza ferida pela serpente venenosa. 

        Se antes, pela árvore, fomos mortos, agora, pela árvore, recuperamos a vida; se antes, pela árvore, fomos enganados, agora, pela árvore, repelimos a astúcia da serpente. Sem dúvida, novas e extraordinárias mudanças! Em vez da morte, nos é dada a vida; em lugar da corrupção, a incorrupção; da vergonha, a glória. 

        Não é sem razão que o Apóstolo exclama: Quanto a mim, que eu me glorie somente na cruz do Senhor nosso, Jesus Cristo. Por ele, o mundo está crucificado para mim, como eu estou crucificado para o mundo (Gl 6,14). Pois aquela suprema sabedoria que floresceu na cruz, desmascarou a presunção e a arrogante loucura da sabedoria do mundo; toda a espécie de bens maravilhosos que brotaram da cruz, extirparam inteiramente a raiz da maldade e do pecado. 

        Já desde o começo do mundo, houve figuras e alegorias desta árvore que anunciavam e Indicavam realidades verdadeiramente admiráveis. Repara bem, tu que sentes um grande desejo de saber:  

        Não é verdade que Noé, com seus filhos e esposas, e os animais de toda espécie, escapou da morte do dilúvio, por ordem de Deus, numa frágil arca de madeira? 

        E o que dizer da vara de Moisés? Não era figura da cruz quando transformou a água em sangue, quando devorou as falsas serpentes dos magos, quando separou as águas do mar como poder do seu golpe, quando as fez voltar ao seu curso normal, afogando os inimigos e salvando aqueles que eram o povo de Deus? 

        Símbolo da cruz foi também a vara de Aarão, quando se cobriu de folhas num só dia para indicar quem devia ser o sacerdote legítimo. 

        Abraão também prenunciou a cruz, quando colocou seu filho amarado sobre o feixe de lenha. 

        Pela cruz, a morte foi destruída e Adão recuperou a vida. Pela cruz, todos os apóstolos foram glorificados, todos os mártires coroados e todos os que crêem, santificados. Pela cruz, fomos revestidos de Cristo ao nos despojarmos do homem velho. Pela cruz, nós, ovelhas de Cristo, fomos reunidos num só rebanho e destinados às moradas celestes.

 

Responsório

 

R. Ó árvore nobre, plantada no meio do Jardim do Senhor!

* Em ti, pelo Cristo, a morte de todos foi morta. Aleluia.

V. Tu és a mais alta de todos os cedros,

que existem nas matas. *Em ti.

 

Oração

 

Concedei, ó Deus, aos vossos servos e servas a graça da ressurreição, pois quisestes que o vosso Filho sofresse por nós o sacrifício da cruz para nos libertar do poder do inimigo. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

 

Conclusão da Hora

V. Bendigamos ao Senhor.

R. Graças a Deus.

 

 

 

 

 

 

Invitatório


V.
Vinde, ó Deus, em meu aulio.
R.
Socorrei-me sem demora.
Glória ao Pai e ao Filho e ao Esrito Santo. *
Como era no prinpio, agora e sempre. Amém. Aleluia.

Esta introdução se omite quando o Invitatório precede imediatamente às Laudes.

Hino

A fiel Jerusalém
canta um hino triunfal,
celebrando, jubilosa,
Jesus Cristo, a Luz pascal.

A serpente é esmagada
pelo Cristo, leão forte,
que ressurge e chama à vida
os cativos pela morte.

Ele vence, refulgindo
de grandeza e majestade.
Ele faz de céus e terra
uma pátria de unidade.

Nosso canto suplicante
pede ao Rei ressuscitado
que receba no seu Reino
o seu povo consagrado.

Ó Jesus, do vosso povo
sede o júbilo pascal.
Dai aos novos pela graça
a vitória triunfal.

Glória a vós, Jesus invicto,
sobre a morte triunfante.
Com o Pai e o Santo Espírito
sois luz nova e radiante.

Salmodia

Ant. 1 Meu filho,tem fé e confia;
teus pecados estão perdoados. Aleluia.

Salmo 50(51)

Tende piedade, ó meu Deus!

Renovai o vosso espírito e a vossa mentalidade. Revesti o homem novo (Ef 4,23-24).

3 Tende piedade, ó meu Deus, misericórdia! *
Na imensidão de vosso amor, purificai-me!

4
Lavai-me todo inteiro do pecado, *
e apagai completamente a minha culpa!

5 Eu reconheço toda a minha iniqüidade, *
o meu pecado está sempre à minha frente.

6
Foi contra vós, só contra vós, que eu pequei, *
e pratiquei o que é mau aos vossos olhos!

– Mostrais assim quanto sois justo na sentença, *
e quanto é reto o julgamento que fazeis.

7
Vede, Senhor, que eu nasci na iniqüidade *
e pecador já minha mãe me concebeu.

8 Mas vós amais os corações que são sinceros, *
na intimidade me ensinais sabedoria.

9
Aspergi-me e serei puro do pecado, *
e mais branco do que a neve ficarei.

10 Fazei-me ouvir cantos de festa e de alegria, *
e exultarão estes meus ossos que esmagastes.

11
Desviai o vosso olhar dos meus pecados *
e apagai todas as minhas transgressões!

12 Criai em mim um coração que seja puro, *
dai-me de novo um espírito decidido.

13
Ó Senhor, não me afasteis de vossa face, *
nem retireis de mim o vosso Santo Espírito!

14 Dai-me de novo a alegria de ser salvo *
e confirmai-me com espírito generoso!

15
Ensinarei vosso caminho aos pecadores, *
e para vós se voltarão os transviados.

16 Da morte como pena, libertai-me, *
e minha língua exaltará vossa justiça!

17
Abri meus bios, ó Senhor, para cantar, *
e minha boca anunciará vosso louvor!

18 Pois não são de vosso agrado os sacrifícios, *
e, se oferto um holocausto, o rejeitais.

19
Meu sacricio é minha alma penitente, *
não desprezeis um coração arrependido!

20 Sede benigno com Sião, por vossa graça, *
reconstruí Jerusalém e os seus muros!

21
E aceitareis o verdadeiro sacrifício, *
os holocaustos e oblações em vosso altar!

Ant. Meu filho,tem fé e confia;
teus pecados estão perdoados. Aleluia.

Ant. 2 Para salvar o vosso povo,
vós saístes para salvar o vosso Ungido. Aleluia.

Cântico Hab 3,2-4.13a.15-19

Deus há de vir para julgar

Erguei a cabeça, porque a vossa libertação está próxima (Lc 21,28).

2 Eu ouvi vossa mensagem, ó Senhor, *
e enchi-me de temor.

– Manifestai a vossa obra pelos tempos *
e tornai-a conhecida.

– Ó Senhor, mesmo na cólera, lembrai-vos *
de ter misericórdia!

3
Deus vi lá das montanhas de Temã, *
e o Santo, de Farã.

– O céu se enche com a sua majestade, *
e a terra, com sua glória.

4
Seu esplendor é fulgurante como o sol, *
saem raios de suas mãos.

– Nelas se oculta o seu poder como num véu, *
seu poder vitorioso.

13
Para salvar o vosso povo vós saístes, *
para salvar o vosso Ungido.

15 E lançastes pelo mar vossos cavalos *
no turbilhão das grandes águas.

16
Ao ouvi-lo estremeceram-me as entranhas *
e tremeram os meus lábios.

– A rie penetrou-me até os ossos, *
e meus passos vacilaram.

– Confiante espero o dia da aflição, *
que vi contra o opressor.

17 Ainda que a figueira não floresça *
nem a vinha dê seus frutos,

– a oliveira não dê mais o seu azeite, *
nem os campos, a comida;

– mesmo que faltem as ovelhas nos apriscos *
e o gado nos currais:

18
mesmo assim eu me alegro no Senhor, *
exulto em Deus, meu Salvador!

19 O meu Deus e meu Senhor é minha força *
e me faz ágil como a corça;

– para as alturas me conduz com segurança *
ao cântico de salmos.

Ant. Para salvar o vosso povo,
vós saístes para salvar o vosso Ungido. Aleluia.

Ant. 3 Ó Sião,  canta louvores ao teu Deus,
a paz ele garante em teus limites. Aleluia.

Salmo 147(147 B)

Restauração de Jerusalém

Vem! Vou mostrar-te a noiva, a esposa do Cordeiro! (Ap 21,9).

12 Glorifica o Senhor, Jerusalém! *
Ó Sião, canta louvores ao teu Deus!

13 Pois reforçou com segurança as tuas portas, *
e os teus filhos em teu seio abençoou;

14
a paz em teus limites garantiu *
e te como alimento a flor do trigo.

15 Ele envia suas ordens para a terra, *
e a palavra que ele diz corre veloz;

16 ele faz cair a neve como lã *
e espalha a geada como cinza.

17 Como de pão lança as migalhas do granizo, *
a seu frio as águas ficam congeladas.

18
Ele envia sua palavra e as derrete, *
sopra o vento e de novo as águas correm.

19 Anuncia a Jacó sua palavra, *
seus preceitos e suas leis a Israel.

20
Nenhum povo recebeu tanto carinho, *
a nenhum outro revelou os seus preceitos.

 

Leitura breve At 5,30-32

O Deus de nossos pais ressuscitou Jesus, a quem vós matastes, pregando-o numa cruz. Deus, por seu poder, o exaltou, tornando-o Guia Supremo e Salvador, para dar ao povo de Israel a conversão e o perdão dos seus pecados. E disso somos testemunhas, nós e o Espírito Santo, que Deus concedeu àqueles que lhe obedecem.

Responsório breve

R. O Senhor ressurgiu do sepulcro. * Aleluia, aleluia.
R. O Senhor.
V. Foi suspenso por nós numa cruz. * Aleluia, aleluia.
Glória ao Pai. R. O Senhor.

CÂNTICO EVANGÉLICO (BENEDICTUS) Lc 1,68-79

Ant. Jesus tomou os pães, e, tendo dado graças,
os deu para os presentes. Aleluia.

O Messias e seu Precursor

68 Bendito seja o Senhor Deus de Israel, * 
porque a seu povo visitou e libertou

69 e fez surgir um poderoso Salvador *
na casa de Davi, seu servidor

70 como falara pela boca de seus santos, * 
os profetas desde os tempos mais antigos, 

71 para salvar-nos do poder dos inimigos * 
e da mão de todos quantos nos odeiam. 

72 Assim mostrou misericórdia a nossos pais, * 
recordando a sua santa Aliança 

73 e o juramento a Abraão, o nosso pai, * 
de conceder-nos 
74 que, libertos do inimigo, 

= a ele nós sirvamos sem temor † 
75 em santidade e em justiça diante dele, * 
enquanto perdurarem nossos dias. 

=76 Serás profeta do Alssimo, ó menino, † 
pois irás andando à frente do Senhor
para aplainar e preparar os seus caminhos, 

77 anunciando ao seu povo a salvação, *
que está na remissão de seus pecados; 

78 pela bondade e compaixão de nosso Deus, * 
que sobre nós fará brilhar o Sol nascente, 

79 para iluminar a quantos jazem entre as trevas *
e na sombra da morte estão sentados 

– e para dirigir os nossos passos, * 
guiando-os no caminho da paz

Ant. Jesus tomou os pães, e, tendo dado graças,
os deu para os presentes. Aleluia.

Preces

Rezemos a Deus Pai, que ressuscitou Jesus de entre os mortos e dará a vida também aos nossos corpos mortais, pelo Espírito Santo que habita em nós. Digamos com fé:

R. Senhor, por vosso Espírito Santo, dai-nos a vida!

Pai santo, que aceitastes o sacrifício de vosso Filho, ressuscitando-o de entre os mortos,
recebei a oferenda que hoje vos apresentamos e conduzi-nos à vida eterna. R.

Abençoai, Senhor, nossos trabalhos deste dia,
para que sirvam à vossa glória e à santificação de todos. R.

Fazei que nossas atividades de hoje contribuam para a construção de um mundo melhor,
e que assim procedendo, possamos chegar ao vosso reino celeste. R.

Abri hoje nossos olhos e nosso coração para as necessidades de nossos irmãos e irmãs,
a fim de que todos nos amemos e nos sirvamos uns aos outros. R.

(intenções livres)

Pai nosso...

Oração

Concedei, ó Deus, aos vossos servos e servas a graça da ressurreição, pois quisestes que o vosso Filho sofresse por nós o sacrifício da cruz para nos libertar do poder do inimigo. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

Conclusão da Hora

O Senhor nos abençoe,
nos livre de todo o mal
e nos conduza à vida eterna. Amém.

 

 

 

Oração das Nove Horas

 

V. Vinde, ó Deus, em meu aulio.

R. Socorrei-me sem demora.
Glória ao Pai e ao Filho e ao Esrito Santo.
Como era no prinpio, agora e sempre. Amém. Aleluia.

 

Hino

Surge a hora terceira, em que Cristo
foi, por nós, elevado na cruz;
fuja a mente de toda soberba,
vá na prece buscar sua luz.

Quem o Cristo acolheu no seu íntimo,
deve ter sempre pura intenção,
implorando ao Espírito Santo
que ele habite no seu coração.

Esta hora pôs fim à velhice,
destruindo do crime as raízes;
e, a seguir, pela graça de Cristo,
começaram os tempos felizes.

Glória a vós, que vencestes a morte
e brilhais, com o Pai, Sumo Bem,
e a chama de Amor, Santo Espírito,
pelos séculos eternos. Amém.

Salmodia

Ant. Aleluia, aleluia, aleluia.

Salmo 118(119),73-80

X (Iod)

Meditação sobre a Palavra de Deus na Lei

Meu Pai, se este cálice não pode passar sem que eu o beba, seja feita a tua vontade! (Mt 26,42).

73 Vossas mãos me modelaram, me fizeram, *
fazei-me bio e aprenderei a vossa lei!

74
Vossos fiéis hão de me ver com alegria, *
pois nas palavras que dissestes esperei.

75 Sei que os vossos julgamentos são corretos, *
e com justiça me provastes, ó Senhor!

76
Vosso amor seja um consolo para mim, *
conforme a vosso servo prometestes.

77 Venha a mim o vosso amor e viverei, *
porque tenho em vossa lei o meu prazer!

78
Humilhação para os soberbos que me oprimem! *
Eu, porém, meditarei vossos preceitos.

79 Que se voltem para mim os que vos temem *
e conhecem, ó Senhor, vossa Aliança!

80
Meu coração seja perfeito em vossa lei, *
e não serei, de modo algum, envergonhado!

Salmo 58(59),2-5.10-11.17-18

Oração do justo perseguido

Estas palavras ensinam a todos o amor filial do Salvador para com seu Pai (Eusébio de Cesaréia).

2 Libertai-me do inimigo, ó meu Deus, *
e protegei-me contra os meus perseguidores!

3
Libertai-me dos obreiros da maldade, *
defendei-me desses homens sanguirios!

4 Eis que ficam espreitando a minha vida, *
poderosos armam tramas contra mim.

=5
Mas eu, Senhor, não cometi pecado ou crime; †
eles investem contra mim sem eu ter culpa: *
despertai e vinde logo ao meu encontro!

=10 Minha força, é a vós que me dirijo, †
porque sois o meu refúgio e proteção, *

11 Deus clemente e compassivo, meu amor!
– Deus vi com seu amor ao meu encontro, *
e hei de ver meus inimigos humilhados.

17 Eu, então, hei de cantar vosso poder, *
e de manhã celebrarei vossa bondade,

– porque fostes para mim o meu abrigo, *
o meu regio no dia da aflição.

=18 Minha força, cantarei vossos louvores, †
porque sois o meu refúgio e proteção, *
Deus clemente e compassivo, meu amor!

Salmo 59(60)

Oração depois de uma derrota

No mundo tereis tribulações. Mas tende coragem! Eu venci o mundo! (Jo 16,33).

=3 Rejeitastes, ó Deus, vosso povo †
e arrasastes as nossas fileiras; *
vós esveis irado: voltai-vos!

4
Abalastes, partistes a terra, *
reparai suas brechas, pois treme.

5 Duramente provastes o povo, *
e um vinho atordoante nos destes.

6 Aos fiéis um sinal indicastes, *
e os pusestes a salvo das flechas.

7
Sejam livres os vossos amados, *
vossa mão nos ajude: ouvi-nos!

=8 Deus falou em seu santo lugar: †
“Exultarei, repartindo Siquém, *
e o vale em Sucot medirei.

=9
Galaad, Manassés me pertencem, †
Efraim é o meu capacete, *
e Ju, o meu cetro real.

=10 É Moab minha bacia de banho, †
sobre Edom eu porei meu calçado, *
vencerei a nação Filistéia!”

11 Quem me leva à cidade segura, *
e a Edom quem me vai conduzir,

12
se vós, Deus, rejeitais vosso povo *
e não mais conduzis nossas tropas?

– Dai-nos, Deus, vosso auxílio na angústia; *
nada vale o socorro dos homens!

13
Mas com Deus nós faremos proezas, *
e ele vai esmagar o opressor.

Ant. Aleluia, aleluia, aleluia.

Leitura breve At 2,32.36

Deus ressuscitou Jesus e disto todos nós somos testemunhas. Portanto, que todo o povo de Israel reconheça com plena certeza: Deus constituiu Senhor e Cristo a este Jesus que vós crucificastes.

V. O Senhor ressurgiu realmente. Aleluia.
R. E apareceu a Simão. Aleluia.

Oração

Concedei, ó Deus, aos vossos servos e servas a graça da ressurreição, pois quisestes que o vosso Filho sofresse por nós o sacrifício da cruz para nos libertar do poder do inimigo. Por Cristo, nosso Senhor.

 

Conclusão da Hora

V.Bendigamos ao Senhor.
R. Graças a Deus.

 

 

Oração das doze horas

 


V. Vinde, ó Deus, em meu aulio.

R. Socorrei-me sem demora.
Glória ao Pai e ao Filho e ao Esrito Santo.
Como era no prinpio, agora e sempre. Amém. Aleluia.

Hino

Vinde, servos suplicantes,
elevai a mente e a voz:
celebrai com vossos cantos,
o amor de Deus por nós.

Porque foi neste momento
que a sentença de um mortal
entregou à morte injusta
o Juiz universal.

E nós, súditos humildes,
por amor e por temor,
contra todo mau desígnio
do perverso tentador,

imploremos a clemência
de Deus Pai, eterno Bem,
do seu Filho, nosso Rei,
e do Espírito Santo. Amém.

Salmodia

Ant. Aleluia, aleluia, aleluia.

Salmo 118(119),73-80

X (Iod)

Meditação sobre a Palavra de Deus na Lei

Meu Pai, se este cálice não pode passar sem que eu o beba, seja feita a tua vontade! (Mt 26,42).

73 Vossas mãos me modelaram, me fizeram, *
fazei-me bio e aprenderei a vossa lei!

74
Vossos fiéis hão de me ver com alegria, *
pois nas palavras que dissestes esperei.

75 Sei que os vossos julgamentos são corretos, *
e com justiça me provastes, ó Senhor!

76
Vosso amor seja um consolo para mim, *
conforme a vosso servo prometestes.

77 Venha a mim o vosso amor e viverei, *
porque tenho em vossa lei o meu prazer!

78
Humilhação para os soberbos que me oprimem! *
Eu, porém, meditarei vossos preceitos.

79 Que se voltem para mim os que vos temem *
e conhecem, ó Senhor, vossa Aliança!

80
Meu coração seja perfeito em vossa lei, *
e não serei, de modo algum, envergonhado!

Salmo 58(59),2-5.10-11.17-18

Oração do justo perseguido

Estas palavras ensinam a todos o amor filial do Salvador para com seu Pai (Eusébio de Cesaréia).

2 Libertai-me do inimigo, ó meu Deus, *
e protegei-me contra os meus perseguidores!

3
Libertai-me dos obreiros da maldade, *
defendei-me desses homens sanguirios!

4 Eis que ficam espreitando a minha vida, *
poderosos armam tramas contra mim.

=5
Mas eu, Senhor, não cometi pecado ou crime; †
eles investem contra mim sem eu ter culpa: *
despertai e vinde logo ao meu encontro!

=10 Minha força, é a vós que me dirijo, †
porque sois o meu refúgio e proteção, *

11 Deus clemente e compassivo, meu amor!
– Deus vi com seu amor ao meu encontro, *
e hei de ver meus inimigos humilhados.

17 Eu, então, hei de cantar vosso poder, *
e de manhã celebrarei vossa bondade,

– porque fostes para mim o meu abrigo, *
o meu regio no dia da aflição.

=18 Minha força, cantarei vossos louvores, †
porque sois o meu refúgio e proteção, *
Deus clemente e compassivo, meu amor!

Salmo 59(60)

Oração depois de uma derrota

No mundo tereis tribulações. Mas tende coragem! Eu venci o mundo! (Jo 16,33).

=3 Rejeitastes, ó Deus, vosso povo †
e arrasastes as nossas fileiras; *
vós esveis irado: voltai-vos!

4
Abalastes, partistes a terra, *
reparai suas brechas, pois treme.

5 Duramente provastes o povo, *
e um vinho atordoante nos destes.

6 Aos fiéis um sinal indicastes, *
e os pusestes a salvo das flechas.

7
Sejam livres os vossos amados, *
vossa mão nos ajude: ouvi-nos!

=8 Deus falou em seu santo lugar: †
“Exultarei, repartindo Siquém, *
e o vale em Sucot medirei.

=9
Galaad, Manassés me pertencem, †
Efraim é o meu capacete, *
e Ju, o meu cetro real.

=10 É Moab minha bacia de banho, †
sobre Edom eu porei meu calçado, *
vencerei a nação Filistéia!”

11 Quem me leva à cidade segura, *
e a Edom quem me vai conduzir,

12
se vós, Deus, rejeitais vosso povo *
e não mais conduzis nossas tropas?

– Dai-nos, Deus, vosso auxílio na angústia; *
nada vale o socorro dos homens!

13
Mas com Deus nós faremos proezas, *
e ele vai esmagar o opressor.

Ant. Aleluia, aleluia, aleluia.

Leitura breve Gl 3,27-28

Vós todos que fostes batizados em Cristo vos revestistes de Cristo. O que vale não é mais ser judeu nem grego, nem escravo nem livre, nem homem nem mulher, pois todos vós sois um só, em Jesus Cristo.

V.Os discípulos ficaram muito alegres, aleluia,
R. Por verem o Senhor ressuscitado. Aleluia.

Oração

Concedei, ó Deus, aos vossos servos e servas a graça da ressurreição, pois quisestes que o vosso Filho sofresse por nós o sacrifício da cruz para nos libertar do poder do inimigo. Por Cristo, nosso Senhor.

 

Conclusão da Hora

V.Bendigamos ao Senhor.
R. Graças a Deus.

 

 

 

Oração das Quinze Horas


 

V. Vinde, ó Deus, em meu aulio.

R. Socorrei-me sem demora.
Glória ao Pai e ao Filho e ao Esrito Santo.
Como era no prinpio, agora e sempre. Amém. Aleluia.

 

Hino

Esta hora brilhou e, esplendente,
afastou toda nuvem da cruz.
Despojando das trevas o mundo,
restitui às nações nova luz.

Nesta hora Jesus ressuscita
do sepulcro os que haviam morrido
e, a morte vencendo, eles saem
com um novo espírito infundido.

Temos fé nessa aurora dos tempos,
das cadeias da morte libertos,
e nas graças da vida, que jorram
como fonte a correr nos desertos.

Glória a vós, que vencestes a morte,
e no céu com o Pai, Sumo Bem,
refulgindo na glória do Espírito
reinais hoje e nos séculos. Amém.

Salmodia

Ant. Aleluia, aleluia, aleluia.

Salmo 118(119),73-80

X (Iod)

Meditação sobre a Palavra de Deus na Lei

Meu Pai, se este cálice não pode passar sem que eu o beba, seja feita a tua vontade! (Mt 26,42).

73 Vossas mãos me modelaram, me fizeram, *
fazei-me bio e aprenderei a vossa lei!

74
Vossos fiéis hão de me ver com alegria, *
pois nas palavras que dissestes esperei.

75 Sei que os vossos julgamentos são corretos, *
e com justiça me provastes, ó Senhor!

76
Vosso amor seja um consolo para mim, *
conforme a vosso servo prometestes.

77 Venha a mim o vosso amor e viverei, *
porque tenho em vossa lei o meu prazer!

78
Humilhação para os soberbos que me oprimem! *
Eu, porém, meditarei vossos preceitos.

79 Que se voltem para mim os que vos temem *
e conhecem, ó Senhor, vossa Aliança!

80
Meu coração seja perfeito em vossa lei, *
e não serei, de modo algum, envergonhado!

Salmo 58(59),2-5.10-11.17-18

Oração do justo perseguido

Estas palavras ensinam a todos o amor filial do Salvador para com seu Pai (Eusébio de Cesaréia).

2 Libertai-me do inimigo, ó meu Deus, *
e protegei-me contra os meus perseguidores!

3
Libertai-me dos obreiros da maldade, *
defendei-me desses homens sanguirios!

4 Eis que ficam espreitando a minha vida, *
poderosos armam tramas contra mim.

=5
Mas eu, Senhor, não cometi pecado ou crime; †
eles investem contra mim sem eu ter culpa: *
despertai e vinde logo ao meu encontro!

=10 Minha força, é a vós que me dirijo, †
porque sois o meu refúgio e proteção, *

11 Deus clemente e compassivo, meu amor!
– Deus vi com seu amor ao meu encontro, *
e hei de ver meus inimigos humilhados.

17 Eu, então, hei de cantar vosso poder, *
e de manhã celebrarei vossa bondade,

– porque fostes para mim o meu abrigo, *
o meu regio no dia da aflição.

=18 Minha força, cantarei vossos louvores, †
porque sois o meu refúgio e proteção, *
Deus clemente e compassivo, meu amor!

Salmo 59(60)

Oração depois de uma derrota

No mundo tereis tribulações. Mas tende coragem! Eu venci o mundo! (Jo 16,33).

=3 Rejeitastes, ó Deus, vosso povo †
e arrasastes as nossas fileiras; *
vós esveis irado: voltai-vos!

4
Abalastes, partistes a terra, *
reparai suas brechas, pois treme.

5 Duramente provastes o povo, *
e um vinho atordoante nos destes.

6 Aos fiéis um sinal indicastes, *
e os pusestes a salvo das flechas.

7
Sejam livres os vossos amados, *
vossa mão nos ajude: ouvi-nos!

=8 Deus falou em seu santo lugar: †
“Exultarei, repartindo Siquém, *
e o vale em Sucot medirei.

=9
Galaad, Manassés me pertencem, †
Efraim é o meu capacete, *
e Ju, o meu cetro real.

=10 É Moab minha bacia de banho, †
sobre Edom eu porei meu calçado, *
vencerei a nação Filistéia!”

11 Quem me leva à cidade segura, *
e a Edom quem me vai conduzir,

12
se vós, Deus, rejeitais vosso povo *
e não mais conduzis nossas tropas?

– Dai-nos, Deus, vosso auxílio na angústia; *
nada vale o socorro dos homens!

13
Mas com Deus nós faremos proezas, *
e ele vai esmagar o opressor.

Ant. Aleluia, aleluia, aleluia.

Leitura breve 1Cor 5,7-8

Lançai fora o fermento velho,para que sejais uma massa nova, já que deveis ser sem fermento. Pois o nosso cordeiro pascal, Cristo, já está imolado. Assim, celebremos a festa, não com velho fermento nem com o fermento de maldade ou de perversidade, mas com os pães ázimos de pureza e de verdade.

V. Ó Senhor, ficai conosco, aleluia,
R.Pois o dia já declina. Aleluia.

Oração

Concedei, ó Deus, aos vossos servos e servas a graça da ressurreição, pois quisestes que o vosso Filho sofresse por nós o sacrifício da cruz para nos libertar do poder do inimigo. Por Cristo, nosso Senhor.

 

Conclusão da Hora

V.Bendigamos ao Senhor.
R. Graças a Deus.

 

 

 

 

V. Vinde, ó Deus, em meu aulio.

R. Socorrei-me sem demora.
Glória ao Pai e ao Filho e ao Esrito Santo.
Como era no prinpio, agora e sempre. Amém. Aleluia.

 

Hino

Eterno Rei e Senhor,
Filho do Pai muito amado,
à vossa imagem plasmastes
Adão, do barro formado.

Caiu o homem no mal,
pelo inimigo enganado.
Mas assumistes seu corpo
num seio virgem formado.

Unido a nós como homem,
vós nos unistes a Deus.
Pelo Batismo, nos destes
herdar o Reino dos céus.

Para salvar todo homem,
morrer na cruz aceitastes.
Preço do nosso resgate,
o vosso sangue doastes.

Mas ressurgis, recebendo
do Pai a glória devida.
Por vós, também ressurgidos,
teremos parte na vida.

Sede, Jesus, para nós,
gozo pascal, honra e glória.
Os que nasceram da graça,
uni à vossa vitória.

Glória a Jesus triunfante
que a própria morte venceu.
A ele, ao Pai e ao Espírito
louvor eterno no céu.

Salmodia

Ant. 1 O senhor libertou minha vida da morte. Aleluia.

Salmo 114(116 A)

Ação de graças

É preciso que passemos por muitos sofrimentos para entrar no Reino de Deus (At 14,22).

1 Eu amo o Senhor, porque ouve *
o grito da minha oração.

2
Inclinou para mim seu ouvido, *
no dia em que eu o invoquei.

3 Prendiam-me as cordas da morte, *
apertavam-me os laços do abismo;

= invadiam-me angústia e tristeza: †
4
eu então invoquei o Senhor: *
“Salvai, ó Senhor, minha vida!”

5 O Senhor é justiça e bondade, *
nosso Deus é amor-compaixão.

6 É o Senhor quem defende os humildes: *
eu estava oprimido, e salvou-me.

7
Ó minh’alma, retorna à tua paz, *
o Senhor é quem cuida de ti!

=8 Libertou minha vida da morte, †
enxugou de meus olhos o pranto *
e livrou os meus pés do tropeço.

9
Andarei na presença de Deus, *
junto a ele na terra dos vivos.

Ant. O senhor libertou minha vida da morte. Aleluia.

Ant. 2 O senhor guarda seu povo como a pupila dos seus olhos. Aleluia.

Salmo 120(121)

Deus protetor de seu povo

Nunca mais terão fome nem sede. Nem os molestará o sol nem algum calor ardente (Ap 7,16).

1 Eu levanto os meus olhos para os montes: *
de onde pode vir o meu socorro?

2
“Do Senhor é que me vem o meu socorro, *
do Senhor que fez o céu e fez a terra!”

3 Ele não deixa tropeçarem os meus pés, *
e não dorme quem te guarda e te vigia.

4
Oh! não! ele não dorme nem cochila, *
aquele que é o guarda de Israel!

5 O Senhor é o teu guarda, o teu vigia, *
é uma sombra protetora à tua direita.

6
Não vai ferir-te o sol durante o dia, *
nem a lua através de toda a noite.

7 O Senhor te guardará de todo o mal, *
ele mesmo vai cuidar da tua vida!

8
Deus te guarda na partida e na chegada. *
Ele te guarda desde agora e para sempre!

Ant. O senhor guarda seu povo como a pupila dos seus olhos. Aleluia.

Ant. 3 O Senhor é minha força, é a razão do meu cantar,
pois foi ele neste dia para mim libertação. Aleluia.

Cântico Ap 15,3-4

Hino de adoração

3 Como são grandes e admiveis vossas obras, *
ó Senhor e nosso Deus onipotente!

– Vossos caminhos são verdade, são justiça, *
ó Rei dos povos todos do universo!

(R. São grandes vossas obras, ó Senhor!)

=4 Quem, Senhor, não haveria de temer-vos, †
e quem não honraria o vosso nome? *
Pois somente vós, Senhor, é que sois santo!

(R.)

= As nações todas hão de vir perante vós, †
e prostradas haverão de adorar-vos, *
pois vossas justas decisões são manifestas!

(R.)

Leitura breve Hb 5,8-10

Mesmo sendo Filho, aprendeu o que significa a obediência a Deus por aquilo que ele sofreu. Mas, na consumação de sua vida, tornou-se causa de salvação eterna para todos os que lhe obedecem. De fato, ele foi por Deus proclamado sumo-sacerdote na ordem de Melquisedec.

Responsório breve

R. Os discípulos ficaram muito alegres. * Aleluia, aleluia.
R. Os discípulos.
V. Quando viram o Senhor ressuscitado. * Aleluia, aleluia.
Glória ao Pai. R. Os discípulos.

CÂNTICO EVANGÉLICO (MAGNIFICAT) Lc 1,46-55

Ant. Jesus sofreu a dura cruz e o inferno derrotou;
revestido de poder, ressuscitou após três dias. Aleluia.

 

A alegria da alma no Senhor

46 A minha alma engrandece ao Senhor
47 e se alegrou o meu esrito em Deus, meu Salvador
48 pois ele viu a pequenez de sua serva, * 
desde agora as gerações hão de chamar-me de bendita. 

49 O Poderoso fez por mim maravilhas * 
e Santo é o seu nome! 
50 Seu amor, de geração em geração, * 
chega a todos que o respeitam; 

51 demonstrou o poder de seu braço, * 
dispersou os orgulhosos; 
52 derrubou os poderosos de seus tronos * 
e os humildes exaltou;

53 De bens saciou os famintos, * 
e despediu, sem nada, os ricos. 
54 Acolheu Israel, seu servidor, * 
fiel ao seu amor

55 como havia prometido aos nossos pais, * 
em favor de Abraão e de seus filhos, para sempre. 

= Demos glória a Deus Pai onipotente
e a seu Filho, Jesus Cristo, Senhor nosso, †
e ao Esrito que habita em nosso peito, *
pelos culos dos culos. Amém.

Ant. Jesus sofreu a dura cruz e o inferno derrotou;
revestido de poder, ressuscitou após três dias. Aleluia.

Preces

Glorifiquemos a Cristo, fonte de vida e origem de todas as virtudes; e rezemos com amor e confiança:

R. Firmai no mundo o vosso Reino, Senhor!

Jesus Salvador, que experimentastes a morte em vossa carne, mas voltastes à vida pelo Espírito,
fazei-nos morrer para o pecado e viver a vida nova do vosso Espírito Santo. R.

Vós, que enviastes os discípulos ao mundo inteiro para pregar o evangelho a toda criatura,
sustentai, com a força do vosso Espírito, os mensageiros de vossa palavra. R.

Vós, que recebestes todo o poder no céu e na terra para dar testemunho da verdade,
dirigi no espírito de verdade o coração daqueles que nos governam. R.

Vós, que fazeis novas todas as coisas e nos mandais esperar, vigilantes, a vinda do vosso reino,
concedei que, quanto mais fervorosamente esperarmos os novos céus e a nova terra, tanto mais generosamente trabalhemos pela edificação do mundo presente. R.

(intenções livres)

Vós, que descestes à mansão dos mortos para lhes anunciar a alegria da salvação,
sede a alegria e a esperança de todos os que partiram desta vida.
R.

Pai nosso...

Oração

Concedei, ó Deus, aos vossos servos e servas a graça da ressurreição, pois quisestes que o vosso Filho sofresse por nós o sacrifício da cruz para nos libertar do poder do inimigo. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

Conclusão da Hora

O Senhor nos abençoe,
nos livre de todo o mal
e nos conduza à vida eterna. Amém.

 

 

 

V. Vinde, ó Deus, em meu auxílio.
R. Socorrei-me sem demora.
Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo.
Como era no princípio, agora e sempre. Amém. Aleluia.


Depois, recomenda-se o exame de consciência (...)

 

Hino

Ó Jesus Redentor,
do universo Senhor,
Verbo eterno do Pai,
Luz da Luz invisível,
que dos vossos remidos
vigilante cuidais.

Vós, artista do mundo,
e de todos os tempos
o sinal divisor,
no silêncio da noite
renovai nosso corpo
que lutando cansou.

Afastai o inimigo,
vós, que os fundos abismos
destruís, ó Jesus!
Não consiga o Maligno
seduzir os remidos
pelo sangue da Cruz

Quando o corpo cansado
for de noite embalado
pelo sono e a calma,
de tal modo adormeça,
que ao dormir nossa carne
não cochile nossa alma.

Escutai-nos, ó Verbo,
por quem Deus fez o mundo,
e o conduz e mantém.
Com o Pai e o Espírito,
vós reinais sobre os vivos
pelos séculos. Amém.

Salmodia

Ant. Aleluia, aleluia, aleluia.

Salmo 87(88)

Prece de um homem gravemente enfermo

Mas esta é a hora, a hora do poder das trevas (Lc 22,53).

2 A vós clamo, Senhor, sem cessar, todo o dia, *
e de noite se eleva até vós meu gemido.
3 Chegue a minha oração até a vossa presença, *
inclinai vosso ouvido a meu triste clamor!

4 Saturada de males se encontra a minh’alma, *
minha vida chegou junto às portas da morte.
5 Sou contado entre aqueles que descem à cova, *
toda gente me vê como um caso perdido!

6 O meu leito já tenho no reino dos mortos, *
como um homem caído que jaz no sepulcro,
– de quem mesmo o Senhor se esqueceu para sempre *
e excluiu por completo da sua atenção.

7 Ó Senhor, me pusestes na cova mais funda, *
nos locais tenebrosos da sombra da morte.
8 Sobre mim cai o peso do vosso furor, *
vossas ondas enormes me cobrem, me afogam.

9 Afastastes de mim meus parentes e amigos, *
para eles tornei-me objeto de horror.
– Eu estou aqui preso e não posso sair, *
10 e meus olhos se gastam de tanta aflição. 

– Clamo a vós, ó Senhor, sem cessar, todo o dia, *
minhas mãos para vós se levantam em prece.
11 Para os mortos, acaso, faríeis milagres? *
poderiam as sombras erguer-se e louvar-vos?

12 No sepulcro haverá quem vos cante o amor *
e proclame entre os mortos a vossa verdade?
13 Vossas obras serão conhecidas nas trevas, *
vossa graça, no reino onde tudo se esquece?

14 Quanto a mim, ó Senhor, clamo a vós na aflição, *
minha prece se eleva até vós desde a aurora.
15 Por que vós, ó Senhor, rejeitais a minh’alma? *
E por que escondeis vossa face de mim?

16 Moribundo e infeliz desde o tempo da infância, *
esgotei-me ao sofrer sob o vosso terror.
17 Vossa ira violenta caiu sobre mim *
e o vosso pavor reduziu-me a um nada!

18 Todo dia me cercam quais ondas revoltas, *
todos juntos me assaltam, me prendem, me apertam.
19 Afastastes de mim os parentes e amigos, *
e por meus familiares só tenho as trevas!

– Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo. *
Como era no princípio, agora e sempre. Amém.

Ant. Aleluia, aleluia, aleluia.

Leitura breve         Cf. Jr 14,9

Tu, Senhor, estás no meio de nós, e teu nome foi invocado sobre nós; não nos abandones, Senhor nosso Deus.

Responsório breve
R.
Senhor, em vossas mãos
Eu entrego o meu espírito. * Aleluia, aleluia. R. Senhor.
V. Vós sois o Deus fiel, que salvastes vosso povo.
* Aleluia, aleluia. Glória ao Pai. R. Senhor.

Cântico evangélico, ant.
Salvai-nos, Senhor, quando velamos,
guardai-nos também quando dormimos!
Nossa mente vigie com o Cristo,
nosso corpo repouse em sua paz! Aleluia.

Cântico de Simeão Lc 2,29-32

Cristo, luz das nações e glória de seu povo

29 Deixai, agora, vosso servo ir em paz, *
conforme prometestes, ó Senhor.

30 Pois meus olhos viram vossa salvação *
31 que preparastes ante a face das nações:

32 uma Luz que brilhará para os gentios *
e para a glória de Israel, o vosso povo.

– Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo. *
Como era no princípio, agora e sempre. Amém.

Ant. Salvai-nos, Senhor, quando velamos,
guardai-nos também quando dormimos!
Nossa mente vigie com o Cristo,
nosso corpo repouse em sua paz! Aleluia.

Oração

Concedei-nos, Senhor, de tal modo unir-nos ao vosso Filho morto e sepultado, que mereçamos ressurgir com ele para uma vida nova. Por Cristo, nosso Senhor.

O Senhor todo-poderoso nos conceda uma noite tranquila
e, no fim da vida, uma morte santa.
R. Amém.

Antífona final de Nossa Senhora

Rainha do céu, alegrai-vos, aleluia,
pois o senhor que merecestes trazer em vosso seio, aleluia,
ressuscitou, como disse, aleluia;
rogai a Deus por nós, aleluia.


.